Prefeitura decreta situação de emergência após tempestade

O prefeito em exercício de Porto Alegre, Sebastião Melo, assinou, na manhã desta segunda-feira, decreto de situação de emergência por causa dos danos registrados após o temporal da noite de sexta-feira. Segundo Melo, o principal objetivo do decreto é agilizar a recuperação dos estragos, permitindo a contratação de pessoal e compra de equipamentos sem a necessidade do processo de licitação. — Eu tenho que contratar urgentemente, sem fazer licitação. Em um primeiro momento, o decreto serve para isso — afirmou. Na prática, a situação de emergência trata-se de uma espécie de sinalização. Para ter consequências sólidas, a medida ainda deve ser homologada pelo governador José Ivo Sartori e reconhecida pela presidente Dilma Rousseff, além de ser confirmada pelas defesas civis estadual e nacional. Uma cidade em situação de emergência recebe algumas vantagens, principalmente econômicas. Caso o decreto seja aceito pelos governos estadual e federal, Porto Alegre terá quatro grandes benefícios: pessoas afetadas poderão retirar o dinheiro retido no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), a prefeitura poderá modificar a peça orçamentária, contratos e aquisições poderão ser feitos sem necessidade de uma licitação e, por fim, dívidas de crédito (como as resultantes do Proagro e do Pronaf, programas de incentivo à agricultura) poderão ser renegociadas. Conforme Melo, a situação de emergência, se homologada pelo governo estadual e federal, permitirá que os moradores que tiveram estragos em suas residências possam sacar o FGTS para fazer os reparos. No entanto, o prefeito em exercício comentou que a medida não busca garantir repasses federais para a cidade: — Dinheiro do governo federal não virá.

Fonte: Rádio Gaucha

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: