Menu:


Ao Vivo

Links Úteis

Nossa Audiência


Estatísticas:

Total de visitas: 298424
Visitas hoje: 110


Correntistas devem tomar cuidado ao acessa contas pela internet

Principal recomendação é não acessar o site do banco por computadores compartilhados.


RádioDe uma hora para outra, 7.800 reais sumiram da conta do militar da reserva, Ramão Carazzoni. A transferência foi feita pela internet. Ele não sabe como os bandidos conseguiram a senha. “Eu descobri só na hora que eu vi o extrato”, diz ele.

Os ladrões ficam de olho na hora em que os correntistas digitam a senha no caixa eletrônico e usam a sua senha para roubar o dinheiro na página do banco na internet, por isso é importante cobrir o teclado, na hora de sacar.

saiba mais

Também existem quadrilhas que só agem pela internet. Mandam e-mails falsos com links que instalam vírus espiões e copiam as senhas. “As pessoas são curiosas e acabam clicando, e se elas não estiverem com tudo em dia, com o computador atualizado, antivírus atualizado, tudo certinho, elas acabam sem querer, instalando um programa, que é um cavalo de troia, ou um vírus que guarda todas as senhas que você digita”, explica Rafael Coninck Teigão, analista de sistemas.

Evite abrir e-mails, supostamente enviados por bancos. “Normalmente os bancos enviam e-mails e quando enviam são só informações. Não têm links para clicar ou espaço para transação”, alerta.

A principal recomendação é nunca acessar o banco de computadores compartilhados por muita gente. Isso vale para lan houses, cyber cafés e máquinas de hoteis, por exemplo. Outras pessoas podem instalar programas para descobrir as senhas.

Orientações:

- no computador pessoal, não use programas piratas.
- não entre na página do banco clicando em links que chegam por email.
- digite o endereço completo. Preste atenção na sigla https. O "s" significa que o site é seguro.

O correntista que desconfiar de fraude deve imprimir um extrato, pedir para o gerente do banco bloquear a conta, e procurar a polícia para fazer um boletim de ocorrência.

“A pessoa que utiliza o cartão não está no mesmo local de onde parte a conexão. Geralmente o dinheiro é enviado para contas correntes em outras unidades federativas” declara Demétrius de Oliveira, delegado.

Fonte: Jornal Hoje


Ver todas as notícias