Epagri comemora 28 anos em Videira com apresentação de tecnologias para aumentar a produtividade de pessegueiros

Um dia de campo na Área Experimental da Epagri em Videira promete reunir cerca de 100 agricultores familiares na próxima segunda-feira, 25, para mostrar as mais recentes tecnologias para o cultivo de frutas de caroço, principalmente de pêssego. Dentre as inovações estão variedades recém-testadas que prometem frutos de mais qualidade, sistema de condução inovador que traz mais qualidade e produtividade, identificação e controle de pragas e tecnologias de aplicação. O evento será a partir das 14h e faz parte das comemorações dos 28 anos da Epagri.

A grande novidade está em um novo sistema de condução do pessegueiro denominado Multi Líder em Muro Frutal, que vem sendo testado nos pomares da Epagri no município. “O sistema promete controle do vigor, aumento de produtividade, mais qualidade dos frutos e maior possibilidade de mecanização. É o que existe de mais moderno na Europa e é inédito no Brasil”, ressalta do gerente da Estação Experimental da Epagri em Videira (EEV),  André Luiz Kulkamp de Souza.

O cultivo de pessegueiros tem grande impacto na região, que segundo André responde por 75% da produção catarinense do fruto, desenvolvida por cerca de 600 famílias em  mil hectares. O Estado produz 18 mil toneladas, o que representa 21%  da produção nacional, estimada 85 mil toneladas.

 

Além do Muro Frutal, outra tecnologia a ser apresentada no dia de campo para esse público será novas variedades de pêssego desenvolvidas pela Embrapa e validadas pela Epagri para serem cultivados na região. “São variedades precoces, mais doces, com melhor estética do fruto e maior produtividade”. Mudas já estão disponíveis para o plantio para a próxima safra, adquiridas em viveiros credenciados.

O dia de campo também vai trazer recomendações para identificação e controle do Piolho-de-São-José, um inseto considerado praga nos pomares de pêssego e de ameixa, que vem atingindo fortemente as plantações nas regiões produtoras, inclusive no Alto Vale do Rio do Peixe. Ele ataca principalmente os ramos e pode ocasionar a morte deles. “Nosso objetivo é auxiliar o produtor a identificar essa praga e mostrar algumas formas de fazer o controle no pomar, com tecnologias que vêm sendo testadas na Estação Experimental em Videira”, explica André.

 

Outro assunto a ser apresentado no evento será a regulagem dos pulverizadores para maior eficácia no controle de pragas e doenças com otimização de agroquímicos ou até mesmo de fórmulas orgânicas, sempre visando à produtividade e à qualidade dos frutos.

O dia de campo é uma promoção da Estação Experimental e da Gerência Regional da Epagri em Videira, juntamente com a Estação Experimental Canoinhas da Embrapa Clima Temperado. A EEV é referência nacional em fruticultura, vitivinicultura e apicultura. Em seus 83 anos de existência, ela foi responsável por estudos que introduziram o cultivo de uva, pêssego, ameixa e nectarina no estado. Esta unidade da Epagri também desenvolve estudos com caqui, quivi e amora-preta, sempre buscando oferecer alternativas de renda aos pequenos produtores.

28 anos da Epagri

O dia de campo em Videira integra a programação comemorativa dos 28 anos de fundação da Epagri. A série de eventos de aniversário da Empresa segue por todo o Estado durante novembro, com lançamento de tecnologias, dias de campo, seminários, atividades de educação ambiental e outras, que vão apresentar à sociedade um pouco do trabalho desenvolvido nestas quase três décadas de extensão rural e pesquisa agropecuária em Santa Catarina.

 

O Estado catarinense foi o primeiro, e até hoje é um dos únicos, a reunir numa empresa os serviços de pesquisa agropecuária e extensão rural. A partir desse ato de ousadia e inovação se construiu uma história de sucesso. Hoje a Epagri é referência nacional e internacional em pesquisa e extensão rural. O conhecimento que produz é empregado não só em benefício dos catarinenses, mas também repercute no Brasil e no exterior.

 

Os cultivares de arroz, por exemplo, são utilizados em diversos países. O Sistema de Plantio Direto de Hortaliças (SPDH), criado e difundido pela extensão rural da Epagri, hoje é modelo de agricultura sustentável em nível nacional e internacional. Já existe maçã desenvolvida pela Epagri que pode ser produzida e vendida na União Europeia com royalties revertidos para Santa Catarina.

 

O sucesso da Epagri nesses 28 anos de existência se reflete na força do agronegócio catarinense. Santa Catarina é líder nacional na produção de maçãs, moluscos e suínos, tem a segunda maior produtividade de arroz irrigado do país, é a quarta maior produtora de leite e de mel do Brasil, tudo isso ocupando apenas 1,1% do território nacional. Grande parte desse resultado se deve ao trabalho da Epagri, que com apoio e confiança dos agricultores, vem inovando para uma agricultura cada vez mais sustentável.

Comentários